fome de mim mesma

Este texto é o mais importante que eu escrevi na vida. Ele foi publicado originalmente em francês, na revista Citrus. Eu achei que nunca ia ter coragem de publicá-lo em português, mas hoje eu tive. Nada se parece mais com o vazio existencial do que a fome. Eu tinha seis anos e meio, nunca tinha […]

29
ago

dessine-moi

Terminei ontem minha encomenda como desenhista. Dois desenhos: um cão e um cacto. É curioso desenhar para os outros. Quando desenho pra mim, nem tanto me ocupo do que vem depois do traço. Estou sempre perseguindo uma ideia disforme, tentando me aproximar dela por algum canto. Com toda razão, o Gregorio escreveu que “o desenho […]

seis e noves

Após o episódio dentes e sementes, voltamos ao vivo com mais um capítulo da série curiosidades específicas e aleatórias que povoam minha mente, e o tema de hoje é: por que o desenho do nove é o seis invertido? Embora claramente inútil, não se trata de uma reflexão insensata. Considere que o fato do desenho […]

pessoas aos pedaços, a pamonha, o cipó

todo santo dia, fim de tarde, passa na minha quadra um moço vendendo pamonha. sábado ele se atrasou. de uma das janelas, uma menininha começou a gritar do nada: olha a pamonha, olha a pamonha – na mesma entonação do moço. saiu um sorriso do fundo do meu peito praquela vozinha fina. procurei a dona […]

15
jul

o espaço entre os corpos

você chega e tem pessoas. algumas pessoas – uma turma de um curso. ou às vezes milhares – um carnaval. você não conhece ninguém, mas é como se um campo gravitacional pairasse sobre. como se alguma coisa (a música?, o cheiro?) preenchesse o espaço entre os corpos. se você faz contato visual com alguém ou […]

Saudade de ir

Muito do que eu fazia ainda faço quarentenada. Como boa privilegiada, perdi pouco. Meu trabalho chega, a aula de ioga chega, o ensinamento chega, chegam mais aulas novas, meus amigos chegam pelo celular. Mas eu não tenho ido. Me peguei pensando em ir. Não faz falta o trânsito, o atraso, o estacionamento, o carro. Mas […]

27
maio

Grão de mundo novo

Olhar pra longe me dá vertigem. Há anos que me vem isso: quanto mais eu procuro esperança no horizonte mais eu me desespero. O dia em Brasília está lindo mas a temperatura está sufocante, o ar irrespirável. Vinha tentando me acalmar olhando pra perto, mas eu não via nada. Ou até via: cacos de esperança […]

Ajuste de foco

Eu sei, tá pesado. Mas se te consola, toda vez que me angustio sobre o que será que vai acontecer com o Brasil, toda vez que começo a me afogar nas notícias sobre política, eu dou um passo atrás e me lembro de que as respostas que a humanidade precisa dar nesse momento passam pouco […]

13
ago

Carta aberta ao Zeca Veloso

Prezado Zeca, Sua música “Todo Homem”, aparentemente, foi feita pra mim. Recebi essa canção algumas vezes, de diferentes pessoas, e sempre como um recado. Pra mim. Há algo que eu preciso saber ali dentro, ou algo que eu já saiba, e por isso se lembram de mim. Algo sobre o masculino. Acho sua música muito […]